Eugène Delacroix - "A liberdade guiando o povo" - 1830






2 de nov de 2010

Palavras ao vento

Estado de S. Paulo

Dissidentes cubanos lançam apelo à Dilma

Dissidentes cubanos pedem que a presidente eleita do Brasil, Dilma Rousseff, modifique a forma pela qual o governo brasileiro tem lidado com o regime de Raul Castro e pressionam para que a questão dos direitos humanos entre na agenda entre Brasília e Havana. "Não queremos nada de extraordinário. Apenas que a nova presidente do Brasil defenda ao povo cubano as mesmas liberdade que ela defenderia para sua própria população", afirmou Dagoberto Valdés, um dos dissidentes ainda mantido em liberdade em Cuba. O dissidente é um dos responsáveis pelo movimento Convivência e foi em nome do grupo que fez a declaração à Dilma. Sem liberdade para publicar seu comunicado em Havana, o dissidente foi obrigado a usar "contatos" que tem na Espanha para tornar pública sua declaração. "Em Cuba, a liberdade é um ingrediente raro", disse o dissidente ao Estado por telefone. "Felicitamos a nova presidente por sua eleição e queremos que o Brasil continue a manter sua relação com Havana. Mas insisto que temos esperanças de que suas relações com Cuba trabalhem pelos mesmos direitos que ela (Dilma) quer para os brasileiros", afirmou.
(...)

*******

Os cubanos não sabem o que falam: querem que Dilma defenda ao povo cubano a mesma liberdade que quer para o povo brasileiro? PNDH3 neles!!! Coitados! Agora pedir de Dilma mais atenção aos direitos humanos é jogar palavras ao vento. A mulher que defende o aborto, não se importa com apedrejamento de mulheres no Irã e não se importa que presos políticos cubanos morram em greve de fome, não me parece estar exatamente preocupada com direitos humanos. Pobres cubanos.

 


Nenhum comentário: