Eugène Delacroix - "A liberdade guiando o povo" - 1830






25 de abr de 2011

Ainda bem que Serra perdeu

Nada como o tempo para mostrar as coisas de forma mais claras. Decorridos apenas alguns meses do governo Dilma (Lula, parte III), já fica clara e bastante evidente a herança maldita que Lula deixa ao país, mais precisamente no colo do seu sucessor.

Trata-se de um nó difícil de desatar: rombo nas contas públicas, câmbio em queda, super-valorizando o real, inflação em alta (apesar da entrada maciça de importados), Copa do Mundo em vias de ser o maior fracasso da história, explicitando a incompetência petista ao mundo todo. Isso apenas para citar os maiores problemas, pois ainda existem outros mais.

Agora, imagine se  Serra tivesse vencido as eleições. Com certeza ele tem capacidade infinitamente maior do que Dilma e sua turma para lidar com situações tão críticas quanto essas, porém, provavelmente seriam quatro anos apenas apagando incêndios, sem chance de apresentar ao Brasil um modelo de crescimento calcado em bases sólidas. Isso enterraria de vez a chance de um segundo governo de oposição, pois daria a Lula a chance de voltar com o discurso de que "só comigo o Brasil anda pra frente".

Não que isso não vá acontecer mesmo sendo o governo atual do PT, pois Lula não tem a menos vergonha na cara de se dissociar do PT quando lhe convém (o mensalão mostrou bem isso), mas com Serra no governo seria bem mais dramático.

Não sei se Dilma se sujeitará a enlamear sua biografia presidencial em favor do ego mastodôntico de seu criador. Ainda tenho esperança que Dilma crie certas dificuldades para Lula voltar triunfante, a fim de tentar entrar para a história da república não apenas como um fantoche tapa-buraco. Isso pode trazer algum benefício ao Brasil (é preciso ver o lado bom mesmo nas desgraças).

Não posso negar que uma luta do PT x PT, seria um daqueles shows bizarros absolutamente imperdíveis.

Agora só falta a oposição de fato de posicionar.



Nenhum comentário: