Eugène Delacroix - "A liberdade guiando o povo" - 1830






13 de fev de 2012

Lula e Zé Dirceu em um restaurante

Segue um exemplo excelente para entender o povo brasileiro e o lulo-petismo:






"Lula e José Dirceu foram jantar em um restaurante muito luxuoso, no qual até os talheres eram de ouro.


De repente, Lula vê o Zé Dirceu pegar duas colheres de ouro e esconder no bolso.
Ficou chateado da vida porque não teve a ideia primeiro e, para mostrar que ele sempre era o CHEFE 
de tudo, decidiu que também ia roubar duas colheres.


Todavia, ficou nervoso (pois os companheiros sempre roubaram para ele e ele nunca sabia de nada") e as colheres acabaram batendo uma contra a outra.
O garçom ouviu o barulho e perguntou ao Lula se ele queria alguma coisa. Lula ficou sem jeito, pois tinha sido pego com a boca na botija e falou que não tinha ouvido nada, não sabia de nada e não queria nada.

Em seguida, Lula tentou de novo, mas uma das colheres caiu no chão. O garçom ouviu outra vez o barulho, 
aproximou-se de Lula e perguntou, outra vez, se queria algo.


Lula pensou um pouco e, como exímio enganador, dissimulado e oportunista, perguntou ao garçom:

- Você quer ver eu fazer uma mágica?
- Sim seu Lula.
- Bom, pega essas duas colher de ouro e p õe elas no meu bolso. O garçom pegou as colheres e as colocou no bolso de Lula.
- OK senhor, e agora?
- Agora conta 1, 2, 3 e tire elas do bolso do Zé Dirceu!


Todos aplaudiram e, ao ir embora, Lula deixou um "graninha" pra todos os garçons e saiu rindo!!!...

Moral da história:


O sujeito viu a oportunidade, roubou, ninguém o viu roubando e ainda saiu aplaudido e considerado "o bom", "o bacana" e "o benfeitor". 




(autor desconhecido)

Nenhum comentário: