Eugène Delacroix - "A liberdade guiando o povo" - 1830






9 de set de 2012

Kassab: a chance perdida


Semana passada FHC declarou que o eleitor paulistano está cansado do PSDB, que há “fadiga de material”. Acho que ele está correto. Na verdade, a situação de Serra e Haddad nesta campanha, somado ao surpreendente desempenho de Russomano mostram algo um pouco além disso: o eleitor está cansado da polarização PT x PSDB.

Isso pode ser uma boa notícia, uma vez que o PSDB está longe de ser um partido que faz oposição de verdade, apesar da polarização. Como oposição, é um retumbante fracasso. E o eleitorado estar cansado do PT é excelente.

Pois bem, seria aí a hora de entrar a terceira opção. Sabemos que os partidos mais a esquerda, tipo os PC do B e PSOL da vida não tem espaço, não caem no gosto do eleitorado geral. O DEM, desde há muito tempo também sofre a dita “fatiga de material”, trocou de nome, mas não foi suficiente.

Para esta terceira opção o PSD de Kassab cairia como uma luva: um partido novo, porém com políticos experientes, novas propostas, enfim, ar fresco na atmosfera político-partidária viciada. Porém Kassab, o “coronel” do novo partido, quis continuar sua saga de político esperto e gênio tático e resolveu anunciar que seu partido não tinha ideologia, não seria nem de esquerda nem de direita, nem governo nem oposição. Apóia Serra, mas flerta com Dilma e o PT. Ora, o povo não é tão burro, de partido ultra-mega fisiologista já temos o PMDB, quem precisa do PSD?

Kassab perde a chance de se tornar uma liderança nacional de verdade e colocar o PSD numa posição invejável. Mas sua tática de acender uma vela pra deus e outra pro diabo, pra ficar bem com todo mundo, o fez perder a grande chance da política nacional nos últimos 15 anos.



Nenhum comentário: